quarta-feira, 10 de junho de 2009

Poemas da semana...

Versos de Verdades Rebeldes

Dar-lhe os a ação concebida
Trocado por uma essência
Até mesmo que talvez, seja dita,
Um imortal que farias companhia.

É bem possível corromper
Ao verbo louco, de que te iludes
Somente mentes a aborrecer
(A guerra que roí palavras e muralhas)!

Palavras que nos cegam
Aos olhos tornam surdos
Os boatos de quem se escutam;
As verdades dos sonetos bastardos!
...05-2005

ADORMECER NA EXISTENCIA

Minha mente se deslizou no vazio
E não percebi o que me consome
- São estas mascaras, acorrentadas de aparências –
Deixa meu proceder em delírio discreto!
Meu caminhar na paisagem revela,
Este estranho adormecer em m’alma
Como um mérito conforto ao meu ser...

Tendo comigo, ações sem rumo concreto
Errante, um vivo-morto na inquietação deste século
E na cidade, o enigma do sistema...
A culpa é minha, por me render
Neste meu espelho fútil do ego
Que pode ser quebrado, quando extorquir o engano
Das minhas severas vontades criminosas!

“Quebranta! Não se deixe levar, estou aqui!” – dizia.
A carência do meu espírito brotou
Na brutalidade contra as leis insignificantes da lama
Pelo resgate da minha fé em combate!
Agora vem e supere ao extremo ardor
Com preço de sangue naqueles eternos dias!

Maior é o que estar comigo – dizem muitos –
Pois não se deixam dominar pelo ego.
Sei que és Tu, que disponível estou, a
Ao fugir deste rosto sugado por miragens
Pelo ato simples de súplica
Em meio à correnteza urbana, quando gritar seu nome!

05 – 06 – 2009.