sexta-feira, 31 de maio de 2013

Madruga



Roubaram meu sono em vão
O sonho que desfaz uma ilusão
Pediu, abriu a porta e sumiu.

Logo, viram que não estava mais lá
A peça-chave do quebra-cabeça da defesa:
A Dúvida - a marionete chefe da incerteza!

sexta-feira, 24 de maio de 2013

O Joio e o Trigo




Estavam todos no campo
Quando outra semente intrusa
Foi metida por meio da brecha.
Sentir-me traído. Mas tinha outra traição
Tinha que ser composta.

Sobre tais efeitos mirabolantes
Desconhece suas profundezas
E ao me deixar levar, por um instante,
Mergulho numa anestesia paralítica
Fazendo-me distante do sinal vermelho.
Humilho minha condição de joelhos
Extraído a sangrenta religiosidade
Que alimenta o falso aspecto
Nos caminhos que padecem almas perdidas.

Mas vejo no rosto de quem venceu
Que quando a colheita vier
A dor terá um fim da estrada
Que o sopro da vida removerá
Com todas as suas raízes!

26 / 12 / 2011